quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

O grande lançamento - continuação/parte IV

(...) continuação


Samantha notou à velocidade do qual estavam, ela sentiu a força e o tranco que o carro
dava, e por um deslize ela acabou por colocar a mão nas pernas de Ivo, ele sentiu um
calor subir pelo seu corpo.

Os dois passaram por diversos pontos turísticos do Rio de Janeiro, Samantha percebeu
os olhos de Ivo pelo seu corpo e teve uma grande ideia.
- Ivo, por favor me leve em uma loja de roupas para praia. – Disse ela.
- Tudo bem Samantha.

Os dois chegaram à loja e Samantha foi logo à sessão de biquínis, logo de cara ela pega
diversos para ir provar.
Ivo impaciente decide ir lá fora e ficar esperando, quando uma mulher decide ir a uma
loja de roupas é sinal de ter um belo chá de cadeira.

Samantha pegou Ivo de surpresa mexendo no celular.
- Ivo o dia está tão lindo, que tal irmos pegar uma praia?
- Como você quiser. – Falou Ivo meio emburrado.
Ivo fez e continuava fazendo todos os caprichos de Samantha. Seguiram para a praia de
Copacabana, o dia estava propicio para uma boa praia.
- Você está sendo um excelente guia Ivo. – Ironizou Samantha.
- Obrigado. – Disse Ivo ríspido.
- Chegamos. – Falou Samantha saindo do carro.
- Essa mulher me da nos nervos. Dai-me paciência. - Falou Ivo saindo do carro.

Ele olhou do outro lado e viu Samantha tirando sua roupa e ficando só de biquíni.
Ivo não acreditou no que estava vendo, parecia uma miragem ou até mesmo um sonho.
Samantha de biquíni na sua frente, o dia não precisava terminar assim.
Os dois seguiram para a praia, mas antes parando para tomar uma água de coco, Ivo
tentava disfarçar sua ereção que estava difícil de manter o controle de toda situação.

Samantha aproveitou ao máximo sua tarde na praia, ela tinha notado o sufoco que Ivo
estava passando em vê-la de biquíni, sem ele perceber Samantha não tirava os olhos do
volume de Ivo.
O jovem deixou Samantha mais cedo do que o combinado, pois ela precisava descansar
bem pois amanhã é o grande dia do lançamento.
A jovem autora aproveitou para deixar todas as suas coisas em ordem, desde e-mails até
os esboços dos seus próximos romances.
Ela mal notou que o tempo passou voando e deixou uma ultima mensagem para editora
lá na Europa.
O grande e aguardado dia do lançamento chegou, Samantha mal tinha tempo para
respirar e olhar seu olhar. Ivo ajudou e muito, indo buscar seu vestido, coisa da qual ele
ficou vidrado.

- Bom dia. Sou Ivo e vim buscar o vestido. – Explicou ele para atendente.
- Pois não senhor, só um minuto que buscarei. – Falou a moça.

Com todo o cuidado a vendedora entregou o vestido devidamente colocado em uma
capa para que não amassasse e o pior, não sujasse.
Ivo deu uma espiada para ver o vestido, não acreditou o que estava em suas mãos, um
vestido azul royal que vai cair perfeitamente em Samantha.
Com todo o devido cuidado, Ivo levou até ao quarto do hotel aonde a escritora estava
hospedada.

Olhando para o relógio Ivo notou que faltava pouco para o grande lançamento, toda
equipe da editora estava trabalhando em pleno vapor.
- Tudo em ordem, últimos retoques. – Falou Samantha.
Ela estava irradiante, tudo estava correndo tudo em ordem como havia planejado e com
suas provocações com Ivo.

Ivo já estava no hall do hotel esperando pela chegada da autora.
Não aguentava mais esperar, o relógio não parava e era questão de minutos para dar inicio ao evento.
O tempo congelou quando Ivo correu os olhos para a porta do elevador, ele não
acreditava no que via, seria um sonho? Talvez.
Samantha está deslumbrante, toda produzida e com o vestido azul royal aberto nas
costas. Com seus cabelos avermelhados com uma trança e suas joias prateadas e
levemente um corte nas pernas que mostrava seu salto alto brilhante.


***terá continuação no próximo post.
Texto autoral por: Rafael Botter e Mary Dourado.




domingo, 13 de janeiro de 2019

[Resenha] O homem que fotografou Deus


Autor: Maciel Brognoli
Páginas: 28
Editora: Cia do e Book


Sinopse: Para José, de nada servia ser considerado um dos seres humanos mais inteligentes do planeta, se não fosse capaz de um ato extraordinário que marcasse a história da humanidade. Um dia, após sua pequena filha, Ana, perguntar “onde Deus mora?”, José ficou sem palavras diante da indagação, aparentemente simples. A pergunta que não pôde ser respondida com certeza absoluta mexeu com seu ego, e despertou nele o desejo juvenil, adormecido, de viajar pelo Universo.
Decidiu então que construiria uma Nave Espacial e partiria em viagem, somente para tentar encontrar Deus e tirar uma fotografia Dele para dar de presente à filha.


José, desde criança, já mostrava ser uma pessoa extremamente inteligente, totalmente precoce. Tanto que, aos 20 anos, foi apelidado de "O Jovem Gênio".

José era estudioso e buscava a resposta para tudo. Mas para ele, nada adiantava ser super inteligente e não fazer nada que marcasse a história da humanidade. Por tanto, ele vivia pensando em algo para desvendar alguns dos mistérios nunca antes resolvidos pelo homem.

Depois de anos passados, José, já com uma família construída, foi questionado por sua filha: "Papai, onde Deus mora?", e ele, pego de surpresa por aquela pergunta e sem saber responder, pois não gostava de dar respostas em que não tinha absoluta certeza, prometeu a garota que viajaria pelo Universo para saber se Deus existia ou não, e se existisse, traria uma foto dele para a garota.

Foi então, que José iniciou uma aventura, desbravando o Universo em busca de respostas.


O Homem que Fotografou Deus, foi uma surpresa muito positiva pra mim. Uma história genuina, leve, que nos prende do início ao fim. Um conto delicioso de ler e que nos traz algo além da discussão: "Existência de Deus", é muito mais sobre a fé do que sobre as crenças.

"Fé": essa é a principal essência da história criada por Maciel Brognoli, que aquece a alma, independente de crença e religião.

Só para ilustrar o que estou tentando demonstrar nesta resenha: eu, Nayara, não sou cristã e não acredito no Deus que criou tudo e todos (Ponto de vista pessoal, ok? Não entremos em discussão), porém O Homem que Fotografou Deus me tocou de uma forma gostosa, pois as vezes tentamos tanto buscar a resposta para algo, que acabamos não enxergando o que esta a nossa volta.


Eu recomendo a leitura de O Homem que Fotografou Deus para todos, independente do que você acredita, pois a moral da história vai muito além disso.

É uma leitura leve, instigante, muito bonita e rápida, li enquanto estava indo do trabalho para a casa, e é ótima para se fazer entre leituras mais densas. Além disso o livro é cheio de ilustrações, o que traz uma magia a mais para a história. Recomendo demais!
Você pode encontrar informações sobre o livro nos seguintes sites:


Mas me conte: Já ouviu falar do autor ou dos seus livros? Leria a história de O homem que fotografou Deus? Deixe seu comentário, vou amar saber o que você achou!

* Essa resenha faz parte do desafio DLL19 de Janeiro: um livro de sua escolha


Está rolando o aniversário de 5 anos do blog e você não pode perder os prêmios incríveis deste sorteio!

Para participar, clique aqui!


Até mais!

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Nostalgia do Século Passado



Nostalgia! Ta aí uma situação, momento ou algo que aconteceu décadas atrás, sempre me pego relembrando os bons momentos da década de 80 e 90, seja sobre filmes, séries e principalmente desenhos. 

Porém! O meu momento nostalgia remota para os séculos atrás, mais precisamente em 1714, Henry Mill o responsável pela invenção de um dispositivo de escrever mecanicamente, mais conhecido como máquina de escrever ou máquina de datilografia. 

Não quero entrar em detalhes e fatos históricos à respeito de toda evolução/revolução das máquinas de escrever, o foco da crônica é relembrar os bons tempos de quando não existia computadores e toda essa parafernálias tecnológicas. 

Tive oportunidade de usar e usufruir toda magia em datilografar em uma máquina de escrever, devo isso aos meus tios. O modelo era uma Olivetti, empresa italiana que em 1959 passou a produzir os equipamentos em São Paulo. 

Ok! Parei com os fatos históricos, foi o calor do momento. Era um momento mágico de ter todo um ritual para poder datilografar, na gíria popular, “bater máquina”. Deixar o papel sulfite tudo alinhado e no jeito para começar a digitar. 

Errar era um caos para poder corrigir, tinha que ter uma atenção redobrada ao datilografar, hoje é fácil, errou é só apertar uma tecla que o erro é acertado. 

Na época, quando à internet estava dando os primeiros passos, fui fuçar e pesquisar um pouco mais sobre todo o universo das máquinas de escrever, lembro-me de ficar encantado com os modelos fabricado da empresa Remington. 

Minha paixão é tamanha que utilizo fontos no Word com estilo de máquinas de escrever, já que hoje em dia é raro encontrar alguma máquina em bom estado para o uso.


segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

SORTEIO - 5 Anos do Traveling Between Pages

Olá, leitores!

No dia 26 de Dezembro de 2018, o blog completou 5 anos no ar. Foram 5 anos de muitas conquistas e batalhas, e hoje chegar a mais um ano ao seu lado é um motivo de orgulho para gente! Crescemos muito nesses anos e devemos nosso maior agradecimento a você, que esteve junto com a gente, levando a literatura para cada vez mais pessoas.

Como a melhor forma de recompensá-lo por isso é com livros, preparamos um super sorteio para agradecer por esses 5 anos do TBP!


Para participar é muito simples, então vamos as regras:


REGRAS

1. Preencha as regras obrigatórias do formulário e chances extras de fazerem mais pontos serão abertas (Essas não são regras obrigatórias, porém você terá mais pontos, aumentando suas chances de ganhar o sorteio);


2. Serão 2 sorteados. Os vencedores precisam residir, ou ter endereço de entrega, em território nacional;

3. O período de inscrição será do dia 07/01/2019 ao dia 31/01/2019;

4. O Sorteio será realizado pelo Rafflecopter, e o resultado postado no blog Traveling Between Pages.

5. O BLOG SERÁ RESPONSÁVEL POR ENVIAR OS PRÊMIOS, que podem chegar em dias diferentes, pois 2 colunistas serão responsáveis pelo envio. O prazo de envio é de até 30 DIAS ÚTEIS, e o Traveling Between Pages (os 2 colunistas em questão) não se responsabiliza por danos, extravios ou retornos das encomendas;

6. Os vencedores terão um prazo de 48 HORAS, após o resultado, para retornar o e-mail do Traveling Between Pages. Caso contrário, o sorteio será refeito;

7. O contato com os vencedores será feito POR E-MAIL, apenas. Então, é muito importante que ele esteja correto;

8. O resultado da promoção será divulgado no dia 02/02/2019;

9. O blog Traveling Between Pages se reserva o direito de dirimir questões não previstas nestas regras.

BOA SORTE!



a Rafflecopter giveaway


a Rafflecopter giveaway

domingo, 6 de janeiro de 2019

O grande lançamento - continuação/parte III

(...)continuação parte III

Samantha adorava viajar, era o seu momento de se recostar na poltrona, colocar os fones
de ouvido e curtir às próximas longas horas de voo.

O voo foi muito tranquilo e sem nenhuma turbulência, a autora aproveitou além de
ouvir música para colocou seus escritos em dia também. Samantha olhava diversas
vezes o perfil na rede social do seu novo agente literário do Brasil, e sem sombra de
dúvidas ele era um pedaço de mau caminho.

Desembarcando na cidade maravilhosa, Samantha tratou de ligar para sua editora e
dizer que tudo tinha corrido bem.
Ela teve seu momento de glória com alguns fãs que a pegaram de surpresa, pedindo
autógrafos, fotos e selfies.

Não demorou muito para Sam ser recebida pelo seu novo agente do Brasil, Ivo
Bittencourt.

- Boa tarde madame. – Disse ele cumprimentando.
- Boa tarde. – disse ela estendendo à mão.
Ela notou que ele era realmente lindo ao vivo e a cores. Ivo pegou todas as bagagens e
seguiram para o estacionamento.
- Vou te levar para o hotel e a noite vamos fazer um tour pela cidade. – Explicou Ivo.
- Ok. – Disse ela com frieza.
- Mulher metida. – Pensou Ivo
Quando chegaram no estacionamento, Samantha ficou de boca aberta quando olhou
para o carro que iria levá-la para o hotel.
- Sendo uma autora mundialmente famosa, você merece do bom e do melhor. – Falou
Ivo.
- Compreendo. – Falou bem ríspida.
- O que tem de gostosa, tem de nojenta e metida. – Sussurrou Ivo.
- O que você disse Ivo?
- Eu? Nada. – Disfarçou Ivo

Com toda gentileza, Ivo abriu à porta para a escritora entrar, após acomodar as malas no
bagageiro, Ivo deu partida no super carro esportivo de luxo que à editora tinha alugado
para deixar em plena disposição para autora.

Ivo notou certa preocupação por estar correndo e vendo a expressão de assustada da
autora, o trajeto para o hotel foi bem curto por causa da velocidade que Ivo pilotava o
carro.
Sendo um bom cavalheiro, Ivo levou Samantha para o seu quarto presidencial que já
estava reservado para autora fazia semanas.
Sem ao menos agradecer por toda essa recepção, Samantha pediu para que Ivo se
retirasse do quarto e ter o seu descanso merecido.

- Mas senhora Samantha, preciso cuidar de tudo para você. – Explicou Ivo.
- Em primeiro lugar, não sou senhora e em segundo lugar eu sei me virar perfeitamente
bem. Então pode-se retirar. – Falou apontando para saída do carro.

Ivo nem ao menos se despediu, saiu bufando e deixou aquela escritora metida a besta
sozinha. O pior que ele tirou mais dois dias para aturar aquela mala.
Samantha tratou de tomar um banho bem demorado para relaxar da longa viagem, a
presença de Ivo deixou a escritora abalada.
Ela pegou sua blusa do chão e sentiu o perfume de Ivo impregnado em sua roupa, não
demorou para que seus seios enrijecesses.

Após o banho, Samantha tratou de ligar para sua editora chefe. Explicou cada detalhe da
viagem até o seu jogo de grosseria com o pobre Ivo.
- Samantha, sei que você é turrona, mas pega leve. – Falou Eleonor.
Samantha conversou mais um tempo com sua amiga e resolveu ficar na sua suíte para
descansar, pois amanhã seria um logo e pervertido dia.

A noite passou como um raio, Samantha acordou e pediu o café da manhã em sua suíte,
sem antes ligar para Ivo e combinar para leva-la e conhecer a cidade maravilhosa.
Samantha tomou seu café bem rápido, estava tramando diversas coisas para fazer com
Ivo. A manhã estava quente, então a escritora resolveu por uma roupa leve e ao mesmo
tempo provocante, tratou de por um short e uma camiseta branca, por baixo um top.

Samantha atendeu o telefone da sua suíte, recebendo o aviso que Ivo já estava
esperando.
Ivo bateu os olhos em Samantha e ficou logo de queixo caído, não sabia o que falar,
apenas olhava admirado.

- Então? Nós vamos primeiro em qual lugar?
- Bom dia. – Disse ele. – No caminho decidimos
- Está bem. – Falou ela.
Samantha seguiu Ivo e notou que ele estava nem um pouco cavalheiro hoje, nem ao
menos abriu a porta do carro para ela.
O jovem dava algumas olhadelas de canto de olho para deslumbrar a escritora.
- Esse carro corre mesmo? – Instigou Samantha.
- E muito. – Falou Ivo.
- Então me mostre.
Ivo mudou o trajeto para dar uma esticada no carro e provar para que também é um bom
motorista.


***terá continuação no próximo post.
Texto autoral por: Rafael Botter e Mary Dourado.





sábado, 5 de janeiro de 2019

Revista Conexão Literatura - 43ª Edição


Chegamos em nossa primeira edição do ano com Robert E. Howard em destaque. Era certo que Howard um dia estamparia uma das nossas capas, afinal ele foi o criador de Conan – O Bárbaro. Confesso que tenho dezenas de exemplares de Conan, coleção que iniciei na juventude. Infelizmente, como a maioria dos grandes escritores e gênios, Howard viveu pouquíssimo tempo: apenas 30 anos, mas deixou um legado para a eternidade. Saiba mais nas linhas da nossa edição.

Contos, dicas de livros, entrevistas e matérias especiais aguardam por você, assim como uma entrevista que Sérgio Simka fez comigo, referente ao lançamento da obra “Possessão Alienígena” (Devir). E para os fãs de Edgar Allan Poe, nesse primeiro trimestre estarei lançando a obra “O Clube de Leitura de Edgar Allan Poe”, pela Editora Selo Jovem. Fiquem ligados sobre mais informações em nossas redes sociais.

Para divulgar o seu livro ou anunciar em nosso site e próxima edição, acesse

Para saber mais sobre a edição, acesse


quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

[Mudando de Assunto] Bird Box


Título Original: Bird Box 

Direção: Susanne Bier 

Ano Lançamento: 21 de Dezembro de 2018 

Duração: 01h57min 

Elenco: Sandra Bullock, Trevante Rhodes, Sarah Paulson, 
John Malkovich e Danielle MacDonald 

Gênero: Terror, Suspense 

Origem: Estados Unidos 

Sinopse: 

Em um mundo pós-apocalíptico, Malorie (Sandra Bullock) e seus filhos precisam chegar em um refúgio para escapar do Problema, criaturas que ao serem vistas fazem pessoas se tornarem extremamente violentas. De olhos vendados para não serem afetados, a família segue o curso de um rio para chegar à segurança. 


Saudações! Queridos Travellers, tudo bem com vocês? Espero que todos estejam bem. Vamos de novidades da nossa querida e amada Netflix? Hora de falarmos um pouco mais do tão esperado filme “Bird Box”, uma super produção com um elenco de peso. Bora para o post? 

O longa é baseado no livro do autor Josh Malerman, do qual narra uma perturbadora história de sobrevivência, mesclando diversos aspectos de terror, suspense e drama. 


Malorie, personagem principal da história, apresente sua visão de um Mundo pós- apocalíptico, uma atuação impecável de Sandra Bullock. Nossa protagonista, precisa correr, andar de olhos vendados para não ser “abduzida” pela tal coisa misteriosa que causa suicídio em massa para quem olha. 

Esse é um filme que exige uma atenção maior dos espectadores, pois é apresentado duas linhas temporais que intercalam durante todo o longa, fazendo todo o sentido da situação dos personagens. 

Confesso que ainda não li o livro (mesmo tendo ele), prometo ler em 2019. 


O roteiro é um dos destaques positivos do filme, não deixando pontas soltas, mostrando passado presente, onde tudo se encaixa, deixando uma névoa de suspense logo nos primeiros minutos. 

Malorie está grávida quando tudo começou a acontecer, entretanto é nos dias atuais com seu filho nascido e uma outra criança sob sua tutela que todo o mistério começa a fazer sentido, passamos entender um pouco mais sobre essa “coisa. 

Os elementos visuais estão impecáveis, sem exageros ou excessos de efeitos especiais, com uma vibe sombria, deixando uma história impactante. 


Sandra Bullock dispensa comentários, um show em sua atuação, deixando todo o seu talento transbordar em cada segundo de todo o suspense. 

Vale a pena? Um filme perturbador em uma busca incansável pela sobrevivência, fugir da tal “coisa” e jamais abrir os olhos. Netflix acertou em cheio em sua nova produção que bateu recordes logo na primeira semana de lançamento.