quarta-feira, 29 de agosto de 2018

[Mudando de Assunto] Para Todos os Garotos que Já Amei


Título Original: To All The Boys I've Loved Before 

Direção: Susan Johnson 

Duração: 01h 39min 

Lançamento: 17 de Agosto de 2018 

Elenco: Lana Condor, Janel Parrish, Anna Cathcart, Noah Centineio e Israel Broussard 

Gênero: Comédia romântica 

Origem: Estados Unidos 

Lara Jean Song Covey (Lana Condor) escreve cartas de amor secretas para todos os seus antigos paqueras. Um dia, essas cartas são misteriosamente enviadas para os meninos sobre os quem ela escreve, virando sua vida de cabeça para baixo.

Saudações cinematográficas, queridos Travellers. Tudo bem com vocês? Espero que sim! Vamos mudar de assunto no post de hoje? Falar do último filme que está disponível no catálogo da nossa querida e amada Netflix. Vamos ao post? 

Para todos os garotos que já amei é o mais novo sucesso da Netflix, recebendo inúmeras críticas e avaliações positivas da mídia especializada. O longa é baseado na obra literária da autora Jenny Han. 


Lara Jean é o centro de todo o romance, ela guarda suas cinco cartas escritas para os seus cinco maiores amores de sua vida, sendo que alguns deles ela nunca se relacionou e permanece sendo uma paixão platônica. 

Porém! Todas essas cinco cartas são enviadas misteriosamente para seus destinatários, é a partir daí que toda confusão começa e Lara Jean não consegue dar conta de todo o circo que está sendo formado. 


O longa é voltado para o público adolescente, possui uma boa fotografia, simplória em algumas cenas, porém, nada que deixe todo o encanto dessa divertida história. Outro detalhe que deixou o filme excepcional, é em relação ao roteiro, fluído do começo ao fim, juntando com toda atuação dos personagens, deixa tudo mais divertido e irreverente. 

Não tive oportunidade de ler todos os três livros, vale lembrar que a Netflix já confirmou a produção de mais dois filmes, tamanho o sucesso que está sendo. 

Um filme repleto de reviravoltas, inclusive (boa parte), na vida da jovem Lara Jean. Se vale a pena? Sim! Dosagem certa na mistura, romance, comédia e uma pitada de drama.


domingo, 26 de agosto de 2018

[Resenha] A Cor dos Olhos Teus


Autora: Andrea Lopes
Páginas: 194
Editora: Nova Terra


Sinopse:  “Meu príncipe não é encantado, mas é um homem real, que me olha com paixão e sabe ser um lobo, exatamente do jeito que desejamos, mas não temos coragem de admitir, nem para a melhor amiga.” – Daniele, personagem de A cor dos olhos teus. Coloque numa mesma história uma blogueira esperta, engajada, cheia de atitude e muito, muito engraçada. Dê umas férias a ela e imagine no seu caminho um médico sério, incrivelmente sexy, com olhos azuis escandalosos. Não esqueça que a atração entre eles será irresistível.

A fórmula que parece simples resulta neste romance perfeito, recheado de imperfeições. Com uma narrativa envolvente, rápida e moderna, A cor dos olhos teus mostra o ponto de vista dos dois personagens, que amadurecem ao longo do tempo, depois de muitos encontros e desencontros. Um romance moderno, emocionante e vertiginoso: a cada página você vai precisar de mais e quando se dá conta estará tão apaixonada quanto Alan e Daniele.

Prepare-se para sentir o seu pulso acelerar, para conhecer lugares incríveis, para ser a melhor amiga dos personagens.



Alan é um cara sério, bonito, sexy e estudante de medicina pronto para fazer sua especialização. Afim de esquecer os problemas e a pressão dos pais para que ele escolha logo em que vai se especializar, ele tira férias, sozinho em uma praia.

Daniele é uma blogueira, com certa fama na internet, cheia de princípios, uma garota de atitude, engraçada, inteligente e com uma família maravilhosa. Ela foi diagnosticada com estresse e por isso tirou férias com a família, em um chalé na praia, para relaxar e se desconectar do mundo.

Passeando pela praia, Daniele se sente mal e é socorrida por um cara lindo, de olhos incrivelmente azuis. A atração entre os dois é mais do que nítida e um amor cheio de idas e vindas nascera.


Eu vivo dizendo que não sou a maior fã de romances, mas preciso admitir que estou encontrando deliciosas leituras nesse meio, e foi o que aconteceu com a história criada pela autora Andrea Lopes.

A Cor do Olhos Teus é narrado no ponto de vista dos nossos dois personagens principais, Daniele e Alan, o que eu adoro, pois é possível se aproximar muito mais de ambos os personagens e acompanhar a evolução dessa relação.

Se você está a procura de um romance leve e ao mesmo tempo quente, esse é o livro certo! Porém é preciso ter um pouco de paciência, se você é um daqueles que torce para que o casal se resolva rápido hahaha.

O relacionamento de Daniele e Alan é cheio de idas e vindas, com muitos encontros e desencontros, mas lindo, aconchegante e impossível de não amar e torcer.

Eu confesso que Alan me irritou muito, algumas vezes, e minha vontade era de socar ele, mas o final recompensou tudo e ao mesmo tempo que foi surpreendente, foi apaixonante!


Por ter tido uma parte do livro em que eu estava odiando as atitudes do Alan, eu fiquei muito decepcionada com algo que li. Uma fala dele me incomodou bastante e achei bem preconceituoso. Mas não, não vou tirar estrelas por causa disso, pois pode ser somente atitude do personagem e não algo que a autora quis dizer (ao menos é o que eu quero acreditar), se é que vocês conseguem me entender haha.
Livro recomendadíssimo! Eu já estava com o e-book dessa história a muito tempo para ler, não conhecia direito, só segui o conselho de uma amiga para baixar e ficou durante um tempo parado, até que resolvi ler e me apaixonei. Inclusive já comecei o segundo livro e também estou amando!

Vocês já leram ou tem vontade de ler esse livro? Compartilhe comigo sua experiência com a história!

Beijos!

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

[Mudando de Assunto] Senhor Sherlock Holmes


Título Original: Mr. Holmes 

Direção: Bill Condon 

Ano Lançamento: 15 de Outubro de 2015 

Duração: 01h44 min 

Elenco: Ian McKellen, Laura Linney, Milo Parker, Hiroyuki Sanada e Hattie Morahan 

Gênero: Drama, Policial 

Origem: Reino Unido e Estados Unidos 

1947. O famoso detetive Sherlock Holmes (Ian McKellen) está com 93 anos, aposentado, vivendo em uma casa remota no litoral com sua governanta Mrs. Munro (Laura Linney) e o filho dela, o pequeno Roger (Milo Parker). Lidando com a deterioração da sua mente por causa da idade, ele continua obcecado com um caso que nunca conseguiu decifrar. Sem a companhia do seu fiel escudeiro Dr. Watson, Sherlock tentar desvendar este último mistério. 


Saudações cinematográficas, queridos Travellers! Tudo bem com vocês? Espero que sim, hoje vamos mudar de assunto e falar um pouco de cinema? O filme escolhido é “Senhor Sherlock Holmes”. 

O envelhecimento chega para todos, infelizmente! Seja nós, meros mortais e até mesmo para personagens da ficção, é o caso do detetive mais famoso do mundo. Sherlock Holmes. 


O longa, mostra Holmes com 93 anos, que luta diariamente para lembrar em detalhes o seu caso final, porém sua mente está se deteriorando gradativamente, ficando impossível de lembrar de coisas que fez a poucas horas. 

Holmes está juntando fragmentos de sua memória para relembrar um caso de extrema importância, do qual o seu fiel braço direito exagerou ao relatar em seus livros, eternizando e deixando – o famoso em todo o Mundo. 

Presenciamos todo o sucesso de Holmes por conta dos livros escritos pelo Watson, o brilhante detetive presencia de perto o estrondoso sucesso com sua reputação, sendo evidenciado em diversos livros e adaptação cinematográfica. 


É surreal toda interpretação de Ian McKellen, ele conseguiu extrair uma emoção ímpar no papel de Holmes, no fim de sua vida. Intensidade e maestria na atuação do personagem. Um dos pontos positivos do filme. Deixando vivo um dos maiores personagens da literatura mundial. 

Outro fator importante que merece ser mencionado de forma positiva é toda ambientação do longa, mostrando de forma minuciosa todos os detalhes de Londres da década de 40, sendo marcado pelo pós-guerra. 


O roteiro é um caso a parte, uma sintonia bem flexível no desenrolar de toda trama, porém não é algo cansativo e nem maçante. 

Se vale a pena? Com toda certeza! Com inúmeras adaptações do brilhante detetive, esse filme merece o devido reconhecimento em mostrar uma visão de Holmes no fim de sua vida.


segunda-feira, 20 de agosto de 2018

[Parceria] Autor Thúlio Phelipe

Olá, Travellers! Como vão vocês? Espero que bem, pois nós estamos ótimos por conta de mais uma parceria de sucesso! Hoje venho compartilhar com vocês, a parceria com o autor Thúlio Phelipe, autor de obras incríveis que em breve traremos a resenha.

Bora conhecer?
O AUTOR

Pernambucano, 28 anos. Escritor por paixão (e por insistência) desde 2003 com seis livros publicados de forma independente.

AS OBRAS


O CÁLICE PROFANADO

O fogo e o sangue deram início a uma forma de amor desconhecida. Thanatos e Eros trouxeram mais solidão que amor, a amada não renasceu. Agora o cálice que foi profanado precisa ser reconstruído. Depois de alguns anos, a história do livro "A tortura (ou Thanatos e Eros)" precisa ser continuada, já que o resultado do que se esperava não foi o que aconteceu.

A TORTURA

AVISO!
Existem muitas palavras que não podem ser simplesmente aceitas, mundos que não precisam ser revelados, não é fácil aceitar que é simples ver a morte, fácil fazer dela um ritual, e mesmo assim celebrar a vida, é disto que estas atípicas palavras falam, e desde já explico que estas podem não ser belas aos olhos, terríveis aos ouvidos e imperfeita a sua interpretação, aconselho honestamente que pare por aqui.


Já conhecem o autor e suas obras? Compartilhe conosco a opinião de vocês!

Abraços e até mais! 

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

[Resenha] As Crônicas do Amanhecer - O Prenúncio da Tempestade #2


Autor: R. Silva
Páginas: 277
Editora: Independente

Sinopse: Por todo o Império, Lordes e famílias poderosas vão à guerra uns contra os outros. Traições e sede por poder darão início a uma guerra sangrenta, prenunciando a grande tempestade que atingirá o Império.


A Guerra dos Irmãos chegou ao fim, mas deu início a Guerra das Serpentes. João Scliros ainda luta contra seu tio, em uma batalha sangrenta, com o reino dividido, soldados jovens e terras já devastadas pela guerra anterior, enquanto o povo tenta levantar o pouco que restou.

A tempestade se aproxima e apenas uma pessoa poderá salvar o Império. Essa é a profecia.


Mais uma vez, o autor conseguiu construir uma história rápida, completamente instigante e muita rica em detalhes em poucas páginas.

Eu já tinha dito na resenha do primeiro livro que eu amo o gênero e fiquei muito satisfeita com a história. Lógico que existe uma expectativa com a continuação, mas O Prenúncio da Tempestade superou todas e o autor conseguiu evoluir muito bem com os personagens, as batalhas e toda a história em si.

É simplesmente impossível tirar o olho da história. Como o meu tempo é bem reduzido, por causa do trabalho, eu só consigo ler, na maioria das vezes, no trajeto até o escritório e eu torcia para não chegar logo, só para ter mais tempo para ler hahaha.

Eu gostei muito mais dos personagem nessa história, a evolução é nítida! As batalhas também são muito mais instigantes. Alguns fatos me deixaram bem animada e as dúvidas do primeiro livro, foram respondidas nesse, e preciso dizer... não suspeitei em nenhum momento o que poderia acontecer, totalmente imprevisível, o que pra mim é perfeito para esse tipo de gênero.


O final, como no primeiro livro, me deixou muito curiosa e querendo pra ontem a continuação. Eu recomendo muito a leitura, principalmente para quem gosta dessa temática de guerras e conflitos medievais.
Vocês já conheciam a história? O que acharam? Quem quiser conhecer o primeiro livro, tem a resenha aqui no blog.

Beijos!

terça-feira, 14 de agosto de 2018

[Resenha] Cuide Dos Pais Antes Que Seja Tarde


Autor: Fabrício Carpinejar
Páginas: 112
Editora: Bertrand Brasil

Sinopse: Um livro emocionante sobre família, do autor best-seller Carpinejar. Nesta obra, Carpinejar mergulha em sua própria intimidade ao se lembrar de seus pais. Faz confissões, desabafos sinceros e também aconselha todos aqueles que ainda têm pai e mãe vivos a valorizá-los, tudo isso de maneira poética e verdadeira. A inevitabilidade da morte permeia a obra, com reflexões sobre o que podemos fazer para lidar com ela de modo a torná-la menos dolorosa. O tom de arrependimento também se faz presente, em meio às memórias do autor. Livro emocionante com o qual todos vão se identificar. Inclui texto de orelha do ator Paulo Betti.


Saudações literárias, queridos Travellers. Tudo bem com vocês? Espero que sim! Semana já começou e vamos de uma resenha incrível. Ah! O choro é livre quando lerem essa obra incrível. Bora pra resenha? 

O dia dos pais já passou, porém, esse livro pode ser lido em qualquer momento, ou melhor, ele deve ser degustado de forma lenta e prazerosa, com o coração aberto, pois o autor transborda paixão do começo ao fim. 


Essa é uma daquelas leituras que vai nos transportar através de nossas memórias e doce lembranças da infância, ao lado das pessoas que amamos e marcaram nossas vidas em todos os sentidos. 

Carpinejar transborda amor, um sentimento ímpar e intendo em cada palavra escrita nessa obra incrível. São textos de uma delicadeza profunda que vai arrebatar qualquer leitor. Nem tudo são flores! O autor soube alfinetar aquelas pessoas que de uma forma ou de outra, abandona familiares por motivos fúteis. 


Esse é um daqueles livros que lemos e ficamos um tempo refletindo tudo que presenciamos em cada linha escrita, dar valor para cada pessoa/familiar do qual faz/fizeram parte das nossas vidas. O tempo passa, devemos aproveitar cada momento em vida daqueles que amamos. 



Se vale a pena? Com toda certeza! Essa obra vai aproximar aquelas pessoas que precisam liberar perdão aos familiares distantes, seja pai, mão, avós e irmãos. 

A intensidade de amor e nostalgia está em cada palavra escrita, deixando o autor ainda mais próximo dos leitores.
Travellers! Espero que vocês tenham gostado do post de hoje, não deixe de ler esse livro incrível! 


quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Eventos: 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo #EuFui!

Saudações literárias, queridos Travellers! Tudo bem com vocês? Espero que sim, hoje trago um pouco da minha ida para Bienal do Livro de São Paulo. Só digo uma coisa: FOI INCRÍVEL! Os detalhes e minhas impressões, você encontra no post completo aí embaixo. Bora falar um pouco mais do evento? 


O lema dessa edição é "Venha fazer download de conhecimento", essa é minha terceira bienal e confesso que fiquei feliz e triste ao mesmo tempo, vou explicar! 

Triste por conta que muitas editoras não estavam presentes nessa edição, é o caso da Saraiva, fez uma grande falta por lá. O tamanho dos estandes de muitas editoras estavam bem reduzidos, sendo um tremendo sufoco poder entrar e ver os livros com calma, era um empurra-empurra danado! 


Os preços estavam tentadores! Livros por 2, 3, 5, 10, 15 e 20 reais, incrível. Ah! Muitas editoras contavam com grandes descontos direto no caixa, esse ano compensou, afinal, quem não quer livros com preços camaradas? Consegui comprar 20 livros por preços bem abaixo da Internet, coisa rara de acontecer, mas aconteceu. 


Comer lá no evento, está fora de cogitação. Preços abusivos! Uma coxinha por R$ 9,00! Sem contar que é tão pequena que mal entra no buraco da cárie. Refrigerante, R$5,80 e R$6,00. Dica camarada de sempre pra ir na Bienal de Sp, levem um lanche, água e salgadinhos. 

Realizei meu sonho em encontrar com o autor Pedro Bandeira, ele foi super atencioso, humilde e receptivo. Valeu super! Sou fã dele, batemos um papo breve que ganhou o dia. 


Turma da Mônica marcou presença no evento, nos estandes da Panini e do Maurício de Souza. Garanti uma foto com o Cebolinha e Mônica.


No modo geral, o evento está excelente por conta dos preços dos livros (algumas editoras estavam com o preço de livraria), valeu super ter ido! Agora é esperar pela edição de 2020. 

Espero que vocês tenham gostado do post, não esqueçam de comentar, curtir e compartilhar. 

Até a próxima, pessoal! 



quinta-feira, 2 de agosto de 2018

[Resenha] O Maníaco do Circo e o menino que tinha medo de palhaços



Autor: Leonardo Barros
Páginas: 293
Editora: Independente

Sinopse: "O Maníaco do Circo” aborda o tema da psicopatia, da fobia, e conta a história de Renato, uma criança com personalidade psicopata que, através de sonhos e alucinações, constrói um mundo mítico onde os palhaços são manifestações materiais de um demônio. O garotinho cresceu e se tornou um homicida missionário. Sua missão: tentar purificar as almas possuídas por esse demônio, ou livrar o mundo de sua ameaça. O leitor vai acompanhar a gênese da loucura, a espontaneidade da primeira execução e a necessidade que o psicopata tem de dar continuidade a uma sina mórbida, tão necessária para ele quanto o próprio ar. Até que a história se complica com o aparecimento de um criminoso, apelidado de “Maníaco do Circo”, que assola a cidade, deixando todos perplexos com a sua crueldade. Quem é o Maníaco do Circo? Quem se esconde por trás da maquiagem de palhaço?Esse mistério, somente você poderá desvendar!


Renato foi uma criança muito perturbada, que vivia sendo assombrado por alucinações com palhaços. Sua mãe acreditava que tudo não passava de um medo bobo do filho que ele precisava perder.

Em uma noite, a mãe de Renato fez ele dormir amarrado com um boneco de palhaço e desde esse dia, o garoto não sentia mais medo, nem mesmo amor ou qualquer outro sentimento.

Ele desenvolveu uma personalidade psicopata e em sua mente ele precisa livrar o mundo dos "palhaços", que ele acredita ser o demônio materializado, e purificar a alma daqueles que foram possuídos por esse demônio.

É então que Renato começa uma série de assassinatos, que alimentam a sua mente doentia. Mas tudo se torna ainda mais complicado com o surgimento de um criminoso, apelidado pela mídia como o "Maníaco do Circo", que assusta a todos com a sua crueldade e maquiagem de palhaço.


Quem leu livros que tem personagens com personalidade psicopata, sabe o quanto algumas histórias são complexas de entender, e é bem isso com "O Maníaco do Circo", porque a história é narrada quase que o tempo todo pelo olhar de Renato, o nosso personagem psicopata. Entender a sua mente, suas alucinações e crenças exigiram de mim um esforço que eu estava precisando a muito tempo e não encontrava em nenhum livro, que era o de me manter presa as fatos para conseguir entender e ir até o final.

Esse livro me tirou de uma ressaca literária, ou um desânimo literário como eu estava chamando hahaha, que estava me perturbando desde o início do ano.

A história as vezes mudava para outros personagens, contando uma história diferente, que me deixou muitas vezes confusa, tentando entender o que tinha haver com os fatos principais, mas ao longo das páginas fui entendendo e tudo foi se encaixando perfeitamente.

"O Maníaco do Circo" é uma história perturbadoramente instigante, que traz pontos como a mente doentia de um psicopata, que acredita veementemente naquele mundo criado na sua cabeça, além de temas como a fobia, drogas e até mesmo crenças religiosas, se posso dizer assim.

Uma das características das histórias criadas pelo autor é a sensualidade. Em todos os livros que li dele, há cenas quentes e bem descritas, o que não foi diferente nesse livro, a diferença é que as cenas seguintes vinham cheias da loucura de um psicopata, com mortes e alucinações.


Eu não preciso dizer que amei o livro e toda sua complexidade. O final é surpreendente e me deixou de queixo caído, porque nem passou na minha mente tal desfecho.
O autor está de parabéns mais uma vez, como sempre seus livros são muito bem escritos. Recomendo não só esse, mas também os outros livros do autor. Tem a resenha de 3 dos livros aqui no blog, além desse.
Beijos!