quinta-feira, 20 de setembro de 2018

[Mudando de Assunto] Psicose


Título Original: Psycho 

Direção: Alfred Hitchcock 

Ano Lançamento: 25 de Agosto de 1960 

Duração: 01h49min 

Elenco: Anthony Perkins, Janet Leigh, Vera Miles, John Gavin e Martin Balsam 

Gênero: Suspense 

Origem: Estados Unidos 

Marion Crane é uma secretária (Janet Leigh) que rouba 40 mil dólares da imobiliária onde trabalha para se casar e começar uma nova vida. Durante a fuga à carro, ela enfrenta uma forte tempestade, erra o caminho e chega em um velho hotel. O estabelecimento é administrado por um sujeito atencioso chamado Norman Bates (Anthony Perkins), que nutre um forte respeito e temor por sua mãe. Marion decide passar a noite no local, sem saber o perigo que a cerca. 

Impressões: 

Saudações! Tudo bem com vocês, queridos Travellers? Vamos para mais um post, mudar um pouco de assunto e falar de filmes. O escolhido de hoje é uma obra prima da sétima arte. Bora para o post? 

Psicose é considerado um dos maiores filmes já produzidos, não era de se espantar, com direção de Alfred Hitchcock o mestre do suspense, criou uma verdadeira obra prima do horror. 

Antes de falarmos do filme, uma curiosidade. O roteirista Joseph Stefano baseou no romance homônimo de Robert Bloch, que por sua vez inspirou nos crimes de Ed Gein, conhecido como o “O Assassino de Wisconsin”. 


Toda trama gira em torno da secretária, Marion Crane, após dar um desfalque em seu patrão, para ajudar o seu amante que está com sérios problemas com dívidas, por conta disso, Marino foge e se esconde em um mote decadente. 

Norman Bates é um rapaz tímido e estranho, dono do decadente Bates Motel, é a partir daí que tudo começa a mudar na vida da secretária fugitiva. 

O longa possui um desenrolar intenso, angustiante, fluído e tomando forma gradativamente, deixando os espectadores vidrado cena após cena. 


Lila Crane, irmã da jovem secretária estranha o sumiço da mesma e decide pedir ajuda ao namorado da irmã junto com o detetive Arbogast para fazerem uma busca e encontrar a desaparecida. 

Norman Bates possui dupla personalidade, fala e age como sua mãe, de forma fria e com personalidade da mãe, ele mata friamente qualquer pessoa que entra em seu caminho. 

Um dos pontos positivos para o longa é toda fotografia e ambientação, possuindo ares frios e sombrio, com um cenário isolado e temporal constante, deixando ainda mais tenebroso. 


Se vale a pena? Dispensa comentários, é claro que vale! Uma relíquia em forma de filme que merece ser apreciado. 

Espero que vocês gostem do post, não esqueçam de conferir o filme e deixar um comentário aqui no blog.


Nenhum comentário:

Postar um comentário